Moda

Só no Sapatinho
De salto baixo ou alto, o Sapato protege os pés de muitas gerações”

Por Fernanda Ferreira

Ilustração: “Sapato, Proteção aos Pés” Por Fernanda Ferreira

Segundo historiadores, o Sapato foi inventado no final do Período Paleolítico em 10.000 a.c, pois, pinturas desta época em cavernas na Espanha e no sul da França, fazem referência ao calçado. Porém, há pesquisadores que afirmam a invenção no Antigo Egito em 3.000 a.c.

Com o próposito inicial apenas de “proteção aos pés”, a história do Sapato é marcada por status social e também como acessório de moda.

No Antigo Egito, as sandálias dos egípcios eram feitas de palha, papiro, ou de fibra de palmeira e apenas os nobres da época possuíam. Mesmo um faraó, usava sandálias e sapatos de couro simples, apesar dos enfeites de ouro.

Na Mesopotâmia, os sapatos eram de couro cru, amarrados aos pés por tiras do mesmo material. E os coturnos, simbolizavam alta posição social.

Na Grécia Antiga, os gregos lançaram moda ao utilizar modelos de calçados diferentes para os pés direito e esquerdo.

Na Roma Antiga, o calçado era “símbolo de classe social”: os Cônsules, eram reconhecidos por usarem sapatos branco, os Senadores, usavam sapatos marrom, preso por quatro fitas pretas de couro atadas a dois nós. O calçado tradicional da população, era a bota de cano curto que deixava os dedos descobertos.

Na Idade Média, homens e mulheres usavam sapatos de couro aberto, semelhante ao das sapatilhas, e os homens também usavam botas altas e baixas, atadas à frente e ao lado.

O rei Eduardo (1272-1307), da Inglaterra, padronizou a numeração dos sapatos. No mesmo país em 1642, há o registro da primeira produção em massa em todo o mundo: Thomas Pendleton, forneceu forneceu 4 mil pares de sapatos e 600 pares de botas para o exército.

O sapato, incrementou o comércio brasileiro com a vinda da côrte portuguesa em 1808, nesta época os escravos eram proibidos de usar sapatos e quando conseguiam a alforria, compravam um par de calçados como forma de simbolizar a nova condição social.

No final do século XIX, o modelo básico do calçado era a botina fechada de camurça, pelica ou de seda, utilizadas por mulheres de maior poder aquisitivo, e os chinelos para a população feminina menos favorecida.

A industrialização no Rio Grande do Sul, originou-se no início do século XX, contribuindo para a criação de um pólo coureiro atacadista em Novo Hamburgo, mas, com a expansão industrial em São Paulo, o pólo atacadista nacional passou a ser a cidade de Franca, sendo a atual fonte de grandes exportações do Brasil.

Entre tantas transformações no decorrer dos anos, até inspiração para nome de grupo de samba e letra de música, o Sapato marcou presença em 1999. Um acessório imprescindível na finalização perfeita de um *“look” para qualquer ocasião, o sapato e a continua “metamorfose das formas, bicos e saltos” é fácil de identificar nas diversas vitrines do mundo, para todos os “gostos e tribos”.

*look: A expressão utilizada no texto refere-se à forma de vestir, a combinação de roupas e acessórios.

Nenhum comentário:

Postar um comentário