Moda

A Roupa nossa de cada dia

“As mulheres e um ponto em comum: a missão de decidir o que vestir”

Por Fernanda Ferreira

Hummm com que roupa eu vou? Essa é uma pergunta que geralmente, a maioria das mulheres fazem todos os dias, minutos depois, espalham sobre a cama, todas aquelas peças que provou antes de decidir a “favorita do dia” e sair de casa. Afinal, escolher se irá usar: calça, saia, pensar na blusa que combina, ou optar pelo vestido, definitivamente não é uma “tarefa” fácil!

São tantas Terezas, Marias, Fabianas, e milhares de nomes que não caberiam nesse artigo, sendo de etnias e estilos diferentes, mas, a indecisão diária ao escolher uma roupa, se torna um ponto em comum entre as mulheres.

Para facilitar na hora de decidir o modelo ideal, devemos sempre focar na “ocasião”. Ou seja, estou me produzindo para ir ao shopping com as amigas, ao trabalho, enfim, aonde irei?

Assim, você irá analisar o que mais lhe convêm para cada situação. Por exemplo, muitas mulheres frequentam academias, por motivos de preocupação com a saúde, e principalmente com a estética! Nesse caso, devemos ter cuidado com os “excessos”, pois, não seria nada adequado, você ir malhar toda “maquiada”, ou usar aquele “shortinho jeans de stretch”, para mostrar que a malhação está fazendo efeito. Lembre-se: vaidade, não é sinônimo de gafe!

Para ir trabalhar, escolha uma roupa confortável, discreta e elegante. Esqueça “o decotão”, esteja sempre atenta para não “extravasar com os acessórios” e “a mistura de cores”.

Estar sempre na moda, é uma preocupação constante no universo feminino, o que não podemos esquecer é que nem sempre os grandes lançamentos se enquadram com o perfil de todas as mulheres. Aproveite para explorar o seu lado criativo, fazendo a sua própria moda, afinal, ninguém é igual ao outro. Então porque seguir rigorosamente um estilo único, mesmo que não lhe cai bem?

Enfim, seja de blusa cor de rosa e calça jeans, de terninho pretinho básico ou de vestido, um aliado indispensável aliado na hora da sua conversa diária a três: você, guarda-roupa e espelho, é o bom senso sempre!

Saúde

Yoga: O Equilíbrio do Corpo e a Mente


Por Fernanda Ferreira

Em nosso dia-a-dia, stress, tensão e “mau humor” (até as pessoas “auto-astral” de vez em quando são surpreendidas com a mudança instantânea de humor), tais características, transformaram-se corriqueiras em nossas vidas.
Como se livrar do stress, da tensão devido aos problemas profissionais que por muitas vezes nos acarreta transtornos pessoais, pelo fato de não administrá-los somente na carga-horária trabalhista? Inconscientemente, descontamos em nossos familiares os nervos aflorados no trabalho. Uma prática milenar, tornou-se a solução para o desgaste físico e mental.
De origem sânscrita, o “Yoga” surgiu a mais de 5000 anos na Índia e foi transmitido por tradição oral até meados de 400a.c, quando foi codificado por “Pantajali” nos “Yôga Sútra”. Em seus ensinamentos, “Pantajali” dizia: “Saber relaxar bem é saber viver bem.”


Praticando o “Yoga”, aprendemos a respirar melhor, relaxar, como se concentrar, como trabalhar os músculos, articulações, nervos, glândulas endócrinas e órgãos internos, através de exercícios físicos fortes, porém respeitando o ritmo biológico do praticante.
Quem já ouviu falar sobre a importância do “equilíbrio do corpo e a mente”? Muitos de nós, mas deixamos o assunto transcorrer desapercebido, por não termos “tempo” para nos preocupar com fatos do gênero. E por não termos este “tempo”, somos privados da autosuficiência, bem-estar e satisfação. Devido à sobrecarga de tensão, no qual a mente afetada pelo agito cotidiano, descarrega no corpo.
Com o “Yoga”, alcançamos o “equilíbrio perfeito entre o corpo e a mente”, nos proporcionando maior vigor, mais vitalidade, bem como seriedade, tornando a vida com o mundo externo, mais acessível.
Um conjunto de benefícios, proporcionando melhorias em nosso convívio profissional e pessoal, é sem dúvida uma boa opção para quem se encontra neste quadro clínico e busca uma saída.